avistamentos de ovnis

A Escala de Hynek para Avaliar Avistamentos de Ovnis

Josef Allen Hynek
És cético? O astrólogo e ufólogo americano Josef Allen Hynek, criador da escala de Hynek para identificar os tipos de avistamentos de ovnis (objetos voadores não identificados), também foi cético no início.
Quanto mais desconhecido, mais extraordinário e sobrenatural é, mais tendemos a procurar uma explicação mais ou menos lógica para, talvez, nos tranquilizarmos. Guiada pelo mesmo raciocínio, Hynek passou a considerar os encontros próximos com seres de outros mundos como “uma questão de nervos do pós-guerra”.
Mais tarde, com a sua própria experiência, ele não só retificaria a sua posição inicial afirmando que se trata de um “verdadeiro fenómeno a considerar”, como ainda criaria um sistema de classificação que vamos conhecer mais abaixo. Este sistema de classificação dos encontros imediatos foi universalmente adotado pelos ufólogos!
Escala de Hynek

A escala de Hynek, o sistema de classificação de avistamentos de ovnis

Imaginemos que observa o céu noturno, quando de repente algo à distância, nas nuvens, vê algo a piscar como como nunca tinha visto. Vamos supor que não é cético como Hynek era originalmente, e devido às suas características (não parece um avião, nem um meteorito…) suspeita que se trata de um avistamento de ovni.
De modo a partilhar a experiência com outros, a exatidão da descrição será uma mais-valia para validar a sua história. Então, porque não usar um sistema de medição como a escala de Hynek? É simples, apesar de a terminologia ter sido banalizada entre os ufólogos e pesquisadores das experiências com ovnis.
A escala de Hynek foi proposta no livro “UFO Experience: A Scientific Study”, de Josef Allen Hynek, que foi publicado em 1972. Este trabalho é considerado um dos legados mais importantes no estudo da ufologia, porque a trajetória de Hynek documentando estes acontecimentos é relevante. De 1948 a 1962 trabalhou como conselheiro científico da Força Aérea Americana para o estudo do fenómeno ovni, onde documentou relatos espantosos que o forçaram a abandonar o seu ceticismo.
Para além disso, fundou o Centro de Estudos de Ovnis em 1973, com o qual continuou a missão de registo e investigação de avistamentos de ovnis, após dar a conhecer a escala de Hynek que expõe as seguintes avaliações:

Contato de primeiro grau

Este é sem dúvida um dos avistamentos mais frequentes de ovnis registados pelo homem e o mais básico na Escala de Hynek.
Consiste na observação de objetos estranhos no céu, sejam discos voadores ou dirigíveis que parecem ser feitos com tecnologia não humana, a uma distância superior a 150 metros para excluir que sejam veículos comerciais.

Contato de segundo grau

Para que um avistamento de OVNI seja considerado como tal, deve haver provas de que o objecto não identificado aterrou ou deixou vestígios da sua visita na superfície terrestre, tais como danos no terreno, rastos de calor ou radiação no solo.
Mesmo uma interferência na receção de ondas hertzianas de rádio ou televisão, acompanhada por um sentimento de desorientação temporal, pode ser considerada um encontro próximo do segundo tipo.

Contato de terceiro grau

Na classificação básica da escala Hynek, este é o encontro mais assustador, mas também o menos frequente de todos.
Se observar uma nave espacial com características espaciais, com a entidade biológica que a tripula, pode chamar devidamente o encontro que teve de encontroa imediato do terceiro tipo.
avistamentos de ovnis

Outros termos a considerar

Durante muitos anos, os ufólogos usaram diversos termos para tentar descrever fenómenos aparentemente inexplicáveis. Estes termos também foram utilizados por Alen Hynek, nomeadamente:

Luzes noturnas

Os relatórios sobre ovnis abundam com experiências que descrevem estes tipos de luzes vistas no céu noturno.
Desdobram-se com direção ou velocidade invulgar, e exibem as cores vermelho, azul, laranja ou branco.

Discos de luz diurna

Refere-se a discos metálicos ovais que são avistados em plena luz do dia e desaparecem com uma velocidade incrível.

Casos de radar

Nada mais são do que a confirmação de relatos de fenómenos de OVNI nos ecrãs de radar.
Outros cientistas acrescentaram outras classificações, tais como encontros próximos do quarto, quinto e sexto tipo, mas a escala de Hynek básica é a mais amplamente aceite.
Já alguma vez tiveste algum destes encontros? Será possível haver extraterrestres? Até Alexandre o Grande viu um
9

Sem comentários

Deixe aqui o seu comentário


Subscrever grátis

Subscreve a nossa lista de email e recebe artigos interessantes e actualizações comodamente na tua caixa de email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo não correu bem...