Phineas Taylor Barnum

Phineas Taylor Barnum e a galeria dos maravilhosos horrores

Phineas Taylor BarnumPhineas Taylor Barnum, nascido a 5 de Julho de 1810 em Bethel (Connecticut – EUA), é uma daquelas personagens curiosas que aparecem de vez em quando, e não porque se tivesse destacado nalguma áreas de ciências ou em arte em particular, mas por ter sido um dos maiores farsantes até ao dia de hoje e pela sua peculiar visão do mundo do espectáculo e dos negócios.

Foi empresário circense, editor de um jornal semanal (The Liberty Herald), político e mesmo filantropo, descrevendo-se a si próprio como um “showman por vocação”, a que ainda juntava a afirmação de que o dinheiro não o tornaria nada mais além do que já era. Também afirmava abertamente que o seu único objectivo era encher os bolsos.

No ano de 1834 muda-se para Nova Iorque, onde dá início à sua aventura no mundo do espectáculo com um show de variedades. Pouco depois conseguiu tomar posse do Museu Scudder´s, o qual rebaptizou com o seu próprio nome. O agora chamado Barnum´s American Museum foi a plataforma que o levou à fama e onde exibia muitos “fenómenos”, os quais eram (evidentemente) grandes fraudes.

Foi o caso da Sereia de Fiji (um híbrido criado a partir de um esqueleto de símio e um de peixe) ou o de Joice, a Bicentenária, uma mulher afroamericana que Barnum dizia ter nada menos do que 160 anos, e que tinha sido ama de berço do próprio George Washington. Outro dos seus grandes êxitos foi a máquina de fazer desaparecer dinheiro (sem comentários), ou o General Tom Polegar, o anão mais baixo do mundo, o qual se podia apadrinhar através do museu (na realidade era uma criança que substituía todos os anos).

O facto de os seus truques terem sido postos a descoberto uma e outra vez não impediu o museu de ter cerca de 400.000 visitantes anuais a partir de 1846, tendo-lhe isso permitido alguns caprichos tão estranhos como financiar a carreira de uma cantora de origem sueca chamada Jelly Lind, à qual pagou milhares de dólares. Conseguiu ainda após maus investimentos e quatro anos de processos em tribunais, recuperar financeiramente e construir a sua mansão pessoal, chamada de Lindencroft, para depois construir o primeiro aquário dos Estados Unidos.

A venda fraudulenta de elixires para a saúde e para a virilidade tornaram-no alvo de inúmeros processos em tribunal, mas longe de se deixar abater, embarcou numa viagem pela Europa com o seu circo, tendo recebido um convite pessoal da Rainha Vitoria para actuar no Palácio de Buckingham. Este espectáculo foi um êxito rotundo graças ao General Tom Polegar que foi apresentado vestido de Napoleão e que foi atacado por um dos cães da rainha, a qual se desfez em gargalhadas ao ver tão bizarra cena. O resto da digressão europeia foi financiado pelos cofres reais de Inglaterra.

A 7 de Agosto de 1891 falecia P. T. Barnum com um enorme sorriso no rosto, algo que desconcertou todos quantos assistiram ao seu enterro. E foi assim que se despediu do mundo o maior trapaceiro conhecido dos últimos séculos.

 

Foto via: worthpoint.com

Sem comentários

Deixe aqui o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.


Subscrever grátis

Subscreve a nossa lista de email e recebe artigos interessantes e actualizações comodamente na tua caixa de email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo não correu bem...