deserto da namibia

O mistério dos círculos de fada do deserto da Namíbia

circulos no deserto

Na Namíbia são conhecidos como anéis de fadas. Trata-se de pequenas formações circulares envoltas em vegetação, em cujo interior nada cresce.

Aparecem em padrões regulares e assim permanecem durante décadas. Mas até há muito pouco tempo nada se sabia sobre eles e sobre as suas origens. No entanto, foram agora colocadas algumas hipóteses para o seu aparecimento, embora não tenham sido totalmente confirmadas.

Norbart Juergens, cientista da Universidade de Hamburgo, na Alemanha, garante ter encontrado a resposta para este enigma. Com efeito, num artigo publicado na revista Science, é de opinião que são as térmitas da areia conhecidas por Psammotermes as autoras dos círculos.

 deserto da namibia

O efeito das térmitas sobre a superfície

Juergens estabeleceu uma estreita relação entre a presença dos círculos e a presença de térmitas Psammotermes neles.

Aparentemente este tipo de térmitas come as raízes das ervas. Quanto maior for a sua actividade, menos vegetação há no interior dos círculos.

Assim, as térmitas comem as ervas do interior dos círculos. À falta de ervas, a água acumula-se no solo arenoso, onde a terra evita a sua evaporação. Em consequência, a acumulação de água permite às térmitas viver sem problemas durante os períodos de seca e favorece o crescimento de plantas nas margens do círculo.

Serão provavelmente estes curiosos insectos os responsáveis por um fenómeno que durante décadas foi considerado como sendo de origem sobrenatural. Agora sabemos, com grande segurança, que existe pelo menos um motivo científico para o surgimento deste tipo de formações. Mais um ponto para a ciência.

Sem comentários

Deixe aqui o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.


Subscrever grátis

Subscreve a nossa lista de email e recebe artigos interessantes e actualizações comodamente na tua caixa de email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo não correu bem...