contagem decrescente

A contagem decrescente

contagem decrescenteDez, nove, oito, sete, seis, cinco, quatro, três, dois, um, zero!

Sempre que é lançado algum foguete ou nave espacial, quer seja na vida real ou na ficção, é realizada uma contagem decrescente.

Porquê? Porque é que não é feita uma contagem para a frente (ou progressiva)?

A contagem podia ser para a frente e feito o lançamento quando se chegasse aos cinco, por exemplo.

Mas desde quando é que se faz assim?

A contagem decrescente do dez até ao zero que é usada no lançamento de foguetes foi utilizada pela primeira vez pelo cineasta Fritz Lang (1890-1976) no filme de ficção científica “Die Frau im Mond”, ou traduzindo do alemão “Uma mulher na lua”.

Foi estreado em 1928 e trata-se do último filme mudo filmado por Lang.

Lang referiu que “se começarmos a contar a partir do um, não sabemos quando devemos terminar. Mas se começarmos do dez para trás, todos sabem que a contagem vai terminar no zero. Isso dá um dramatismo inusitado à situação”.

Inventada como uma forma de aumentar a tensão dramática, a estratégia de Lang acabou por ser assimilada pelos profissionais da área e posteriormente universalizada numa infinidade de situações, como por exemplo os lançamentos de naves espaciais, obviamente.

Sem comentários

Deixe aqui o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.


Subscrever grátis

Subscreve a nossa lista de email e recebe artigos interessantes e actualizações comodamente na tua caixa de email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo não correu bem...