dermatologismo

Dermatologismo, quando se pode escrever na pele apenas tocando-a.

Estas são reacções epidérmicas ao toque. O dermatologismo (literalmente “escrever na pele”) é um tipo de “urticária induzida por trauma”, embora o trauma neste caso possa ser causado por quase nada; coçar, acariciar, ou esfregar faz com que as células libertem produtos químicos inflamatórios como a histamina, resultando em fugas de líquido dos vasos sanguíneos superficiais.

Dermatologismo, quando se pode escrever na pele apenas tocando-a

No dermatologismo a reacção da pele não só ao atrito, mas também a outras circunstâncias, é muito mais extrema do que em outras pessoas. Há inchaço e vermelhidão extensiva, mesmo desencadeada por coisas do dia-a-dia como usar um cinto ou coçar levemente uma comichão.
A reacção também pode ser desencadeada por tempo frio, emoções fortes, água quente, ou exercício. A sua presença não requer tratamento, mas algumas pessoas com versões especialmente graves da doença têm de ser medicadas para minimizar os sintomas alérgicos, que depois se propagam a outras partes da pele que não foram estimuladas.
Muitas pessoas não sabem o que têm, por isso a fotógrafa Ariana Page Russell começou a tirar fotografias da sua doença em 2003. Quando as publicou no seu sítio web em 2008, começou a receber uma avalanche de e-mails de pessoas que sofriam da mesma doença. Tornou-se a perita não oficial em dermatografia. As pessoas escrevem-lhe a pedir a sua opinião sobre a forma como a devem tratar. Por vezes até lhe enviam fotografias da sua própria pele.
Estas respostas levaram Russel a iniciar um site chamado Skin Tome, onde se está a formar uma comunidade em torno do dermatologismo para recolher informações sobre a doença e ajudar as pessoas com a doença. Pois para além das dificuldades físicas, a maioria das pessoas tem vergonha da sua pele, e tenta esconder a sua condição.
Mas na realidade, várias estatísticas afirmam que cinco por cento das pessoas sofrem desta doença, e pode ser muito mais comum do que isso, uma vez que muitos não estão conscientes de sofrer da mesma.
#SkinWriting é uma hashtag activa entre pessoas com dermatologismo no Twitter; e a página do Facebook, “I’m a Skin Writer, I Have Dermatographism,” tem uma comunidade activa de mais de 2.400 pessoas, onde muitos escrevem na sua pele, e publicam fotos.
A sua pele é uma tela que vive através dos tempos e das mudanças; uma barreira para o mundo que é também a ligação com ele. Partilham arte e histórias, estímulos e tratamentos.
8

Sem comentários

Deixe aqui o seu comentário


Subscrever grátis

Subscreve a nossa lista de email e recebe artigos interessantes e actualizações comodamente na tua caixa de email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo não correu bem...