Circo obrigado a cancelar espectáculo onde mulher regurgitava um peixe vivo

Circo obrigado a cancelar espectáculo onde mulher regurgitava um peixe vivo

(Reuters) Um circo russo foi obrigado a cancelar um dos shows no qual uma mulher comia um peixe vivo e depois o regurgitava, algo que foi classificado pelas autoridades australianas como cruel.

O Ministério da Industria e Investimento da Nova Gales do Sul (NSW na sigla em inglês) impediu esta parte do espectáculo do Grande Circo de Moscovo na cidade de Sidney, após receber queixas do público.

Funcionários do ministério afirmaram que o truque contraria o Acto de Protecção dos Animais. “Os circos que operam em NSW devem cumprir todas as regras obrigatórias para o bem estar dos animais”, foi afirmado num comunicado da instituição

A decisão foi bem acolhida pelos activistas dos direitos dos animais. “A investigação científica mostra que os peixes podem sofrer e por isso também estão protegidos pelo Acto de Prevenção de crueldade contra animais do NSW”, disse a directora executiva da Animals Austrália, Glenys Oogjes, em comunicado.

“Longe de ser educativo, este foi um acto desumano que se reflectiu pessimamente sobre o Circo de Moscovo“, acrescentou Greg Hall, gerente geral do Grande Circo de Moscovo, afirmando ainda que a proibição foi uma surpresa.

“O show foi apresentado apenas durante quatro ou cinco semanas e não havíamos recebido nenhuma queixa até hoje“, disse Hall à Reuters. E acrescentou que não se utilizarão mais peixes vivos novamente no espectáculo

“Os outros peixes agora vivem retirados do mundo do espectáculo, “longe do circo!” referiu ainda.

Acreditas que se podem usar animais neste tipo de espectáculos? Comenta…

2 Responses

  1. Nome (obrigatório)
    Set 14th
  2. Thiago
    Set 14th

Deixe aqui o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.


Subscrever grátis

Subscreve a nossa lista de email e recebe artigos interessantes e actualizações comodamente na tua caixa de email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo não correu bem...