Categorias
Arte

Rainbow House, um oásis de cor

O design de interiores surgiu, entre outras coisas, como uma disciplina que tem por objectivo adequar os espaços às necessidades e gostos das pessoas, para que possam viver num ambiente cómodo e familiar. Tanto para viver, como para trabalhar, as pessoas devem sentir-se cómodas e motivadas para fazerem as suas actividades, seja a resolver um problema do trabalho ou simplesmente descansar.

Se algum designer tivesse de decorar um espaço que fomentasse a criatividade, seguramente que seria parecido com a Rainbow House. Criada por Ab Rogers Design em colaboração com a DA. Studio, a Rainbow House é isso precisamente, uma chuva de cores vivas e variadas como um arco-íris, onde cada recanto é uma descoberta única e mágica.

Na divisão principal, uma cama redonda gira no seu próprio eixo, sendo por isso possível apreciar as vistas por qualquer uma das janelas. Uma abertura no solo levanta-se para revelar uma escada que conduz ao piso inferior, especificamente à sala de estar, onde um sofá controlado electronicamente, cria um espaço para jogar ou dormir com 12 por 8 metros.

[vimeo]http://vimeo.com/7458976[/vimeo]

Estes surpreendentes e dispares elementos unem-se em torno de uma escada em caracol no centro. Os degraus desta estrutura em aço e fibra de vidro, passam por todo o espectro do arco-íris, mudando as suas tonalidades conforme se elevam pela casa. Em cada piso, a sua cor expande-se e projecta as cores no chão.

Para mim é mais uma Casa Sol, que uma Cara Arco-íris. É uma explosão estimulante de energia. Mostra a magia que é possível haver no design. É impossível entrar dentro deste mundo lúdico sem nos esquecermos dos problemas do dia a dia e sair sem um sorriso.

Palavras de Deyan Sudjic, director do Museu do Design em Londres, com as quais não poderia estar mais de acordo.

Num país conhecido mundialmente pelo seu clima difícil e pela abundância de chuva ao longo do ano, a Rainbow House é uma brisa de frescura e alegria. Quem se quiser atrever a viver no seu interior, pois há que admitir que não será qualquer pessoa que encaixe com as características do lugar, não pode fazer mais do que sentir-se feliz no seu interior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *