aperto de mão

Porque os apertos de mão dão dados com a mão direita?

aperto de mãoO costume de dar a mão direita como forma de saudação é algo praticado em todo o mundo e não apenas nas chamadas civilizações ocidentais.

Esta saudação data dos dias em que as pessoas habitavam em pequenas comunidades isoladas, caçando para comer e em que o contacto com o mundo exterior e com novos visitantes era escasso.

Quando aparecia um estranho, normalmente era considerado como sendo uma ameaça. O estranho para mostrar que não tinha intenções violentas e para haver um nível básico de confiança, devia indicar de alguma forma que não levava armas consigo. Dado que a maior parte das pessoas é destra e utiliza a mão direita para agarrar uma arma, então devia estender essa mão, mostrando que estava desarmado (pelo contrário, se fosse canhoto tinha uma excelente oportunidade para atacar o adversário).

Com o passar do tempo e o uso de espadas e punhais na Idade Média, o facto de se estender a mão para cumprimentar tornou-se numa forma normal de indicar que não se trazia qualquer arma consigo. As mulheres não eram consideradas como sendo uma ameaça, pelo que não tinham de estender a mão.

Também podemos ainda referir que a mão esquerda sempre foi considerada como a que que era usada para tarefas higiénicas, nunca sendo utilizada para comer, para dar ou receber, nem consequentemente usada para saudar, tanto em relação a canhotos como a destros.

Finalmente, na Inglaterra, como parte das reformas durante a era vitoriana, os beijos em público de qualquer tipo foram classificados como socialmente inaceitáveis, pelo que o aperto de mão acabou por se tornar moda tanto em relação aos homens como às mulheres, pois era uma forma conveniente de manter as pessoas a uma distância adequada.

Sem comentários

Deixe aqui o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.


Subscrever grátis

Subscreve a nossa lista de email e recebe artigos interessantes e actualizações comodamente na tua caixa de email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo não correu bem...