licantropo

Sabes quem foi Licaonte, o rei que deu nome à licantropia?

licantropoJá todos ouvimos falar sobre lobisomens ou licantropos. Durante muitos séculos e em diferentes culturas de todo o mundo, acreditava-se firmemente na sua existência. Para nós são seres fantásticos que povoam séries e filmes de terror. Mas será que sabes quem foi Licaonte, o rei que deu nome à licantropia? Acompanha-nos para ver como apareceu a ideia dos lobisomens, tal a conhecemos actualmente.

Segundo o dicionário, licantropo é “o que sofre de licantropia”, sendo esta a capacidade ou maldição mitológica de um ser humano se transformar em lobo. Esta metamorfose pode ser voluntária ou involuntária e resulta de uma maldição ou por efeito de um agente externo.

Como mito, é considerado um dos mais difundidos e antigos entre todas as culturas humanas. Até nós chegou pela mão de Licaonte, o rei grego da Arcádia.

 

Licaonte, o rei que deu nome à licantropia

Existem várias versões do mito de Licaonte ou Licáon A mais conhecida é a relatada por Ovídio na primeira parte da sua obra “Metamorfoses“. Embora algumas das versões do mito sejam divergentes em alguns pontos, de uma forma geral a história relatada é a seguinte:

Licaonte era filho do herói Pelasgo, o primeiro rei da Arcádia. Sucedeu ao pai no trono e fundou a cidade de Licosura. Era um rei bom, justo, tendo ajudado os súbditos a abandonar a vida selvagem que até então levavam e era ainda um homem muito religioso.

Nesta cidade ergueu um templo dedicado a Zeus e no seu altar fazia sacrifícios. Mas a sua extrema religiosidade levou-o a fazer sacrifícios humanos, pelo que quase nenhum estrangeiro saia da cidade com vida, pois eram assassinados como oferenda. Este acto violava uma lei sagrada: a lei da hospitalidade.

licaonte

Zeus transformando Licaonte em lobo. Hendrik Goltzius, 1589

Zeus soube desta transgressão e disfarçou-se de peregrino, tendo pedido alojamento no próprio palácio de Licaonte para ver o que se passava. O rei foi avisado pelos súbditos que havia algo estranho no peregrino, tendo suspeitado que pudesse ser um deus disfarçado. Para o provar, misturou a carne de uma das suas vítimas com o banquete que ofereceu ao visitante. Se comesse é porque não era um deus. Zeus ao ver o que acontecera ficou extremamente zangado, transformou Licaonte em lobo, e deitou fogo ao palácio onde eram cometidas tais atrocidades. Daí vem a palavra “licantropia”, da transformação em lobo, que foi o castigo do rei Licaonte.

lobisomemApesar de tudo isso, a história não acaba aqui. Licaonte teve mais de 50 filhos com diversas mulheres e todos eles eram cruéis, preguiçosos e insolentes. Zeus foi mais uma vez informado do assunto. Voltou a disfarçar-se desta vez de velho mendigo e chegou às portas do palácio dos Licaónidas para conferir a veracidade dos rumores.

Os filhos de Licaonte decidiram cozinhar um dos irmãos, o mais pequeno, chamado Níctimo e oferecer as suas entranhas, misturadas com outras carnes de animais, ao mendigo no decurso de um banquete. Zeus, enfurecido, fulminou alguns com o raio, outros transformou-os em lobos e aos restantes exilou-os. Por último, ressuscitou Níctimo que foi ordenado rei da Arcádia.

Esta parece ser a origem do mito dos lobisomens no mundo ocidental, ou pelo menos terá sido o que deu lugar ao nome pelo qual também são conhecidos: licantropos. A partir daí, desenvolveu-se, especialmente durante a Idade Média, um folclore europeu em torno da figura dos lobisomens que também passou para o território do continente americano durante a época colonial.

Por outro lado, sabe-se ainda que nos terríveis julgamentos por bruxaria que tiveram lugar no centro e este da Europa entre os séculos XV e XVIII, foram julgados vários “homens lobo”. Os casos mais famosos foram o da “Família Gandillon”, na Suiça, em que os respectivos membros foram todos queimados na fogueira, e do alemão Peter Stumpf de Bedburg, que foi acusado de assassinar e comer mais de 60 vítimas, entre as quais o próprio filho. Stumpf foi torturado e executado de uma forma atroz juntamente com a filha, embora esta tenha sido pelo simples facto de ter um toco na mão esquerda que foi identificado como a pata cortada por uma armadilha para lobos quando se transformava em licantropo.

licantropia

Ataque de um homem lobo por Lucas Cranach der Ältere , 1512

Já conhecias a relação entre Licaonte e a licantropia? Sabes outras histórias relacionadas com lobisomens? Partilha-as connosco!

2

Sem comentários

Deixe aqui o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.


Subscrever grátis

Subscreve a nossa lista de email e recebe artigos interessantes e actualizações comodamente na tua caixa de email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo não correu bem...