lampreia

Lampreia, o vampiro dos rios

Desde há 500 milhões de anos, é conhecida a existência de uma espécie que aparentemente não conseguiu evoluir. É um animal pré-histórico chamado lampreia, que tem alguma semelhança com a enguia, embora não esteja relacionado com ela. Cientificamente, chama-se Hiperoartia, e pertence à classe agnathans, que agrupa peixes sem mandíbula.
É paradoxal porque taxonomicamente não é identificado como um peixe, mas partilha algumas características com eles. É conhecido por passar parte da sua vida em água doce e a outra parte em águas marinhas. É, portanto considerada uma variedade anádroma, tal como o salmão.
lampreia

Fases de desenvolvimento da lampreia

A lampreia tem duas fases completamente diferentes: larval e adulta.  Na sua forma larval, mede 10 a 20 cm, não tem olhos nem dentes, e tem um sistema digestivo diferente. À volta da sua boca tem uma borda de pequenos pelos chamada barbela. Utiliza-os para filtrar as pequenas criaturas de que se alimenta. Tem sete pares de fendas branquiais através das quais respira, bem como barbatanas dorsais.
As lampreias larvares são tão diferentes das lampreias adultas que os investigadores pensaram outrora que eram géneros separados. Ainda hoje ainda são referidos como amocetas (larvas jovens).
As larvas permanecem ou vivem na lama, ou nos rios durante cerca de 4 – 5 anos. Depois disso, transformam-se na sua forma adulta e mudam-se para um ambiente marinho. Ali vivem cerca de três anos e o seu instinto reprodutivo fá-los regressar ao rio, onde podem ser capturados ou morrer naturalmente. Normalmente morre logo após a reprodução.

Lampreia Adulta

Como adulta, a lampreia tem um corpo longo, esguio e cilíndrico.  A sua pele é gelatinosa, escorregadia. Não tem balanças ou mandíbulas. A sua cabeça e olhos são pequenos. Tem sete fendas branquiais. A sua boca, embora circular, tem a forma de uma ventosa. Os seus dentes são pequenos e duros como a sua língua. Por outro lado, tem uma união das suas 2 barbatanas e uma cauda que termina num ponto.

Características da Lampreia

A lampreia é geralmente castanho-amarelada ou verde-azulada, com manchas âmbar e uma barriga clara. Como mencionado acima, o corpo é gelatinoso, com uma forma cilíndrica. Atinge quase um metro de comprimento. Não tem um esqueleto ósseo, mas tem um notocorda cartilaginoso que serve como o seu principal suporte.
Tem uma particularidade que a poderia definir como um animal refinado. Prefere água limpa e evita rios sujos ou infetados.

Reprodução

A lampreia utiliza correntes de água doce para a reprodução.  Em geral, escolhe rios de grande volume, com águas relativamente calmas. É ovípara. Deposita uma média de 60.000 ovos, dos quais muito poucos (talvez um por cento) evoluem para uma nova criatura.
O seu comportamento reprodutivo é bastante curioso. Procura riachos de água doce para desovar. O macho, com a ajuda da fêmea, constrói uma morada de rochas. Durante a desova, o macho agarra-se à fêmea com a boca e permanece enrolado à sua volta.
Da mesma forma, a lampreia prende-se a uma rocha no fundo. Ela põe os seus ovos, sendo imediatamente fertilizados pelo macho, e a corrente do rio transporta-os para o ninho de pedras. Após a eclosão (após 2 ou 3 semanas), as larvas permanecerão enterradas na areia durante alguns dias.
É quando chega a ½ cm de comprimento que emerge e se deixa levar pelo rio para acalmar as águas. Aqui cavará um abrigo próprio onde permanecerá durante cerca de 5 anos, atingindo um comprimento de cerca de 20 cm.  Depois deslocar-se-á para o mar como um adulto.

Alimentação da lampreia

Quando a lampreia chega ao mar, vive neste ambiente entre dois e cinco anos, durante os quais vive como parasita em outros peixes. Como uma espécie de vampiro aquático, ela bebe o seu sangue para se sustentar. Para evitar que o sangue engrosse, a lampreia gera um líquido anticoagulante.
Na sua fase larval, a lampreia não tem dentes e alimenta-se através da sucção de corpos microscópicos.  Mas quando sofre de metamorfose e se torna adulta, transforma-se num animal parasita. Equipa-se assim com dentes perfurantes e uma língua áspera. Isto permite-lhe perfurar a pele de outros peixes e sugar o seu sangue e outros fluidos corporais para se alimentar.
A lampreia agarra-se às suas vítimas, presas vivas, e alimenta-se do seu sangue e carne até que fique satisfeita ou a presa morra. Pode — em apenas quatro horas — matar um peixe do tamanho de uma truta.
Escolheria de preferência um tubarão ou salmão, mas qualquer mamífero marinho serve. Se estiver presa a animais muito maiores, pode engordar e alimentar-se deles durante dias ou semanas de cada vez.
17

Sem comentários

Deixe aqui o seu comentário


Subscrever grátis

Subscreve a nossa lista de email e recebe artigos interessantes e actualizações comodamente na tua caixa de email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo não correu bem...