inversão magnética

Inversão magnética dos polos? Fim do mundo?

inversão magnética
Mais uma vez, o fim do mundo foi anunciado. Desta vez, cortesia da inversão dos polos magnéticos da Terra. Pode realmente acontecer? Sim, pode!
O centro da terra tem duas partes: uma parte interior, sólida e uma parte exterior, líquida. O fluxo de calor faz com que o ferro líquido e o níquel se desloquem do centro, sendo quase 6.000 graus Celsius, para a periferia do núcleo, sendo “mais fresco” — cerca de 3.500 graus. Este movimento, combinado com a rotação da terra, transforma o nosso planeta num enorme dínamo — ou “geodínamo” — que amplifica o campo magnético possivelmente gerado pelo núcleo sólido ou, num passado distante, pelo sol.
Este campo magnético, como um íman colossal inclinado cerca de dez graus acima do eixo da Terra, é o que orienta as nossas bússolas e, interagindo com o vento solar, gera as espantosas luzes do norte e do sul (a propósito: o Polo Norte geográfico é o Polo Sul do íman).
Acontece que, graças à investigação geológica, descobriu-se que, devido à dinâmica dos próprios líquidos, o campo magnético, após enfraquecer, mudou a sua orientação 1 a 5 vezes em cada milhão de anos. Um enfraquecimento do campo foi agora detetado, e a última inversão ocorreu há 786 mil anos. Por isso… está na hora?
A chamada “Anomalia do Atlântico Sul” parece ser um sintoma que é.
Se isto acontecesse, os cientistas não têm a certeza do que aconteceria. Provavelmente, enquanto o campo magnético é fraco, partículas de alta energia entrariam na terra e aumentariam os níveis de radiação, o que poderia causar problemas nos sistemas de comunicação, nas redes elétricas e, nos seres vivos, desorientação, mutações e, de acordo com algumas espécies, extinção. No entanto, o Homo erectus, o nosso antepassado, mesmo sem grande capacidade tecnológica, sobreviveu à última vez em silêncio, tal como muitas das espécies que existem hoje, pelo que dificilmente significaria o “fim do mundo”.
Aqueles que estudam este fenómeno dizem que, embora possa acontecer nas nossas vidas, é impossível prever quando irá acontecer, quanto mais apontar um dia específico: o processo pode demorar mais de 100 anos. E, se a nossa atmosfera conseguir proteger-nos, a única coisa afetada poderá ser os nossos sistemas de navegação. Por isso, se tinha planos, não os cancele ainda…
31

Sem comentários

Deixe aqui o seu comentário


Subscrever grátis

Subscreve a nossa lista de email e recebe artigos interessantes e actualizações comodamente na tua caixa de email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo não correu bem...