John F. Kennedy

5 Curiosidades sobre John F. Kennedy que te irão surpreender

jfkJohn F. Kennedy foi o trigésimo quinto presidente dos Estados Unidos. Foi um dos mais queridos na história deste país e a sua família era considerada  “a realeza americana”.

Foi assassinado em Dallas (Texas), quando tinha 46 anos, quando três disparos lhe roubaram a vida. As circunstâncias que rodeiam a sua morte ainda continuam a ser controversas actualmente, apesar das informações oficiais apontarem Lee Harvey Oswald como o único responsável pelo assassinato.

Conhece neste artigo mais detalhes sobre a vida e morte desta figura política que marcou uma era.

 

Foi o segundo presidente com mais dinheiro na história

John F. Kennedy nasceu numa família tremendamente endinheirada cuja fortuna supera os 1200 milhões de dólares a valores actuais, de acordo com a revista Forbes.

Dado o tamanho da sua conta bancária, quando Kennedy assumiu a presidência em 1961 transformou-se no chefe de Estado mais rico da história dos EUA, até Donald Trump ter assumido o cargo em 2017 e lhe ter roubado a primeira posição.

Como dado adicional, John F. Kennedy decidiu renunciar ao seu salário presidencial de 100 mil dólares para o oferecer totalmente a instituições de caridade. Nesta altura já será mais ou menos claro que o dinheiro não era uma preocupação para esta figura política.

 

Comprou uma enorme quantidade de charutos antes de decretar o embargo a Cuba

Dois dias antes de Kennedy decretar o embargo económico a Cuba, pediu ao secretário Pierre Salinger que lhe comprasse cerca de mil charutos cubanos.

Um dia depois de ter os ter recebido assinou imediatamente o decreto que proibia a venda de produtos de origem cubana em território norte-americano.

 

Recebeu por 4 vezes a extrema-unção

John F. Kennedy com 43 anos de idade foi o presidente mais jovem a passar pela Casa Branca. O seu aspecto saudável e vigoroso enganou a opinião pública sobre os complicados problemas médicos que o afligiram ao longo da vida.

Consumia diariamente uns 10 medicamentos diferentes para contrariar os efeitos das doenças que o afligiam e que quase o conduziram à morte por mais do que uma vez.

Sofria com frequência de náuseas, fadiga extrema, dores de estômago, febre alta e muitos outros sintomas provocados pela doença de Addison, uma doença auto-imune relativamente rara que destrói progressivamente as glândulas supra-renais. Para além disso, também lhe foi diagnosticado hipotiroidismo.

O seu estado de saúde agravou-se tanto em 1947 durante uma viagem a Inglaterra que a sua família mandou que lhe fosse dada a extrema-unção para que a sua alma descansasse em paz. O mesmo aconteceu em 1951 devido a uma febre altíssima. A terceira vez foi em 1954 após uma cirurgia às costas. E finalmente em 22 de Novembro de 1963 receberia a quarta e última extrema-unção, no dia em que foi assassinado em Dallas.

Supostamente, uma cinta ortopédica ter-lhe-á custado a vida

Esta teoria foi proposta pelo médico que o assistiu após ter levado o tiro. Como Kennedy tinha dores de costas porque tinha uma perna mais curta do que a outra, trazia um cinta ortopédica no dia em que foi assassinado.

Este médico disse que se não o tivesse levado teria podido baixar-se no carro tal como fez o governador Connally após o primeiro disparo. Mas Kennedy manteve-se erguido e isto tornou-o num alvo mais fácil e facilitou a que a bala o atingisse na cabeça.

 

Últimas palavras

Meu Deus, fui atingido”, foi a versão mais divulgada das últimas palavras de JFK, mas fontes oficiais garantem que esta informação é incorrecta. Segundos antes do disparo conversava com a esposa do governador John Connally, Nellie Connally, sobre a sua recepção em Dallas. Ela comentou, “certamente que não se pode dizer que as gentes de Dallas não lhe deram uma recepção agradável, senhor presidente”, ao que JFK respondeu: “não, certamente que não” e terá sido a última coisa que pronunciou.

Conhecias estas curiosidades sobre John F. Kennedy?  Achas mesmo que Lee Harvey Oswald matou o JFK por motivações pessoais como é referido na comunicação oficial? Ou será que actuou sob as ordens de Fidel Castro, ou mesmo da máfia, tal como referem algumas teorias de conspiração que ainda se mantêm bem vivas mesmo após mais de 50 anos da data do assassinato de JFK? Deixa-nos a tua opinião.

Sem comentários

Deixe aqui o seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


Subscrever grátis

Subscreve a nossa lista de email e recebe artigos interessantes e actualizações comodamente na tua caixa de email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo não correu bem...