Categorias
Curiosidades

Aparelhos de Ginástica Rítmica

Aparelhos de ginástica rítmica: arco

O arco possui um padrão de peso e de dimensão limitando o espaço em que a ginasta deverá mover-se nos casos complexos de movimento em que a mesma deve utilizar ao redor do corpo, porém, as variações de movimentos durante a coreografia, permite que o arco também seja jogado ao alto, corra pelo perímetro de apresentação, rolamentos e saltos com o aparelho.

Aparelhos de ginástica rítmica: bola

A bola é considerada o equipamento mais difícil de manipular, pois pode ser perdido com facilidade, rolando e quicando para longe da ginasta, que deve apresentar rolamentos, giros e saltos coordenados com a flexibilidade da atleta e de acordo com a coreografia apresentada.
Com dimensão de até vinte centímetros, a bola deve pesar no máximo quatrocentos gramas e deve ser de material plástico.

Aparelhos de ginástica rítmica: corda

Os principais elementos da corda são os saltos e a recuperação quando o equipamento é atirado ao ar, devendo a ginasta realizar a coreografia utilizando a corda de diferentes formas, como aberta, dobrada, enrolada ou ainda criando círculos que a permitam dançar com o equipamento.

Aparelhos de ginástica rítmica: fita

A obrigatoriedade deste equipamento é manter a fita em constante movimento sendo os giros o principal movimento que deve ser feito junto as fitas, no entanto, as fitas devem formar desenhos no espaço, criando formatos e imagens diferentes como os espirais normalmente vistos em apresentações.
A fita possui o estilete que é a parte onde deve ser segurada inicialmente e todo o restante é a fita que realiza as formas da coreografia, no entanto, nada impede a ginasta de segurar o equipamento pela fita para complementar sua coreografia. Os giros são os elementos essenciais das coreografias com fitas, pois permite que a ginasta forme as imagens ao redor de seu corpo.

Aparelhos de ginástica rítmica: maças

Os movimentos mais comuns desse equipamento são as rotações, pesam pelo menos trezentos gramas e medem até cinquenta centímetros. Durante a coreografia, a ginasta deve formar figuras assimétricas e combinar as figuras com o corpo ou ainda complementando a coreografia.
É também considerado um equipamento de difícil manuseio, já que este exige muita coordenação motora e precisão nas recuperações quando o equipamento é jogado ao alto, que pode além de cair, quicar para longe da atleta, além disso, o equilíbrio deste equipamento, quando não é realizado de forma correta, o mesmo pode cair fazendo a ginasta perder pontos.
Em geral, o padrão imposto aos aparelhos é de acordo com o nível que o competidor se encontra, ou seja, um campeonato infantil não exige um padrão adulto e olímpico para a competição, possuindo então um padrão paralelo que também deve ser seguido, além disso, os equipamentos devem estar de acordo com as cores do collant.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *