alimentação biológica

Alimentação saudável e biológica? Na realidade tudo ou que comemos está cheio de “químicos”

alimentação saudável

Alimentação saudável e biológica

Uma das desculpas mais comuns para ter uma alimentação saudável e comprar comida biológica ou para preferir certos tipos de alimentos é que as pessoas não querem químicos no seu corpo, mas a verdade é que isso não é uma simplesmente possível.

Temos pena de te estar a dizer isto, mas a verdade é que absolutamente todo o que comemos está repleto de químicos, embora alguns sejam mais saudáveis que outros, mas todos estão presentes. No entanto, isso não significa que estamos a comer mal, quer apenas dizer que uma alimentação biológica ou sem químicos é um mito que não existe e que é preciso derrubar.

alimentação biológica

Os químicos são a tua comida

Tudo o que existe no planeta é composto por elementos químicos, incluindo a água e tudo o que somos (o nosso corpo), pelo que é impossível que os alimentos que comemos não sejam também “químicos”. O sal é cloreto de sódio, os minerais nutritivos fazem parte da tabela periódica, etc. Costumamos dividir os alimentos de acordo com o seu contributo nutricional e a sua origem: vegetais, proteínas, hidratos de carbono, etc. No caso dos químicos presentes na comida, estes são classificados por grupos.

Os químicos que mais frequentemente podemos encontrar nos alimentos são à base dos chamados macronutrientes, que nos fornecem a energia e os nutrientes necessários para a vida, pelo que podemos mesmo dizer que sem químicos na nossa comida, seria impossível a nossa existência.

Da próxima vez que ouvires alguém falar sobre uma alimentação “sem químicos”, explica-lhe que isso é impossível. O que podemos (e devemos) fazer é tentar seguir uma dieta saudável que tenha a menor quantidade possível de químicos prejudiciais à nossa saúde.

quimicos na alimentação

Os macronutrientes químicos

No mundo da química existem quatro elementos que são a base dos macronutrientes. Os principais macronutrientes são hidratos de carbono, proteínas, gorduras e lípidos, os quais nos fornecem a energia que o nosso corpo precisa diariamente.

Os quatro químicos presentes em maiores quantidades nos macronutrientes são o carbono, o azoto, o hidrogénio e oxigénio, mas o resto dos elementos da tabela periódica também aparecem, embora em menores quantidades e concentração, geralmente na forma de compostos e misturas em diferentes estados.

Dentro do corpo humano, estes elementos criam reacções químicas que dão origem aos processos existentes no nosso organismo e que nos permitem simplesmente viver. A falta de certos químicos na alimentação pode dar origem a doenças ou complicar o funcionamento interno do corpo humano.

Há que destacar que os alimentos puros, ou seja não processados, são mais saudáveis porque se forem submetidos a processos químicos podem gerar reacções prejudiciais ao organismo e/ou perder valor nutricional.

Um químico por si mesmo não é mau. Por outro lado, alguns alimentos que todos pensamos serem saudáveis podem possuir vestígios de químicos que até metem medo, como por exemplo o arsénico nas amêndoas.

A principal preocupação que devemos ter é comer de forma saudável e ter uma alimentação variada. Não acredites no mito da alimentação sem químicos. Isso simplesmente não existe.

Sem comentários

Deixe aqui o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.


Subscrever grátis

Subscreve a nossa lista de email e recebe artigos interessantes e actualizações comodamente na tua caixa de email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo não correu bem...