estrada dos ossos

A estrada dos ossos e a sua trágica história

estrada dos ossosQuando a extinta URSS se encontrava no seu expoente máximo, Estaline ordenou a construção de uma estrada que unisse as cidades de Magadan e de Yakutsk, um trajecto com mais de 2.000 quilómetros de distância. Em parte era para ser usada como meio de comunicação com a Sibéria e em parte para manter controlados os detractores do regime, tendo sido construída por milhares de presos condenados a trabalhos forçados, tendo pás e picaretas como únicas ferramentas.

A estrada dos ossos como é conhecido este troço, cruza parte do Círculo Polar Ártico atravessando algumas das cidades mais frias do mundo, lugares onde até mesmo enterrar os mortos pode ser um problema devido ao frio e aos ciclos de congelação do solo, que lentamente elevam tudo o que se enterre (os mortos sepultados incluídos), obrigando os habitantes a enterrar o seus defuntos por mais de uma vez.

Segundo dizem as lendas acerca da estrada dos ossos, cada um dos seus metros custou uma vida a alguém, e aqueles que morreram devido ao mau tempo, de fome ou devido ao trabalho duro, eram enterrados debaixo do traçado da estrada. Qualquer viajante que pretenda percorrer esta perigosíssima estrada, deverá ter em conta que o seu veículo irá passar sobre as inumeráveis vítimas que esta estrada custou.

Para além da lenda que a rodeia, a estrada dos ossos é considerada como sendo uma das mais perigosas do mundo devido a causas naturais, principalmente após as chuvas estivais, que tornam o terreno num autentico lodaçal e tornando o avanço num pesadelo, quando não totalmente impossível. Mas sendo o único caminho para a cidade de Yakutsk, é utilizada diariamente, tendo um número enorme de acidentes mesmo entre as pessoas que a conhecem bem.

 

 

Foto via: voanews

Sem comentários

Deixe aqui o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.


Subscrever grátis

Subscreve a nossa lista de email e recebe artigos interessantes e actualizações comodamente na tua caixa de email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo não correu bem...