8 Histórias realmente irónicas

8 Histórias realmente irónicas

O artista que foi convidado a pintar o retrato do director da escola que o expulsou

Um artista que foi expulso da escola, tendo-lhe sido dito que “nunca seria ninguém”, foi convidado a pintar o retrato do director que o expulsou 55 anos antes. David Ingham foi expulso da Ermysted’s Grammar Scholl quando tinha 12 anos de idade, pelo director Marcelus Forster. Mas o agora sexagenário artista, entretanto tornou-se um professor de arte, tendo sido convidado pela escola a pintar o retrato do senhor Forster, o director que lhe tinha dito que nunca seria ninguém na vida. (Link)

 

O homem que se afogou numa festa de salva-vidas

Em Setembro de 1985, ouve uma festa na piscina municipal de Nova Orleães. Esta festa foi feita para comemorar o primeiro Verão sem afogamentos na piscina. Em honra do acontecimento, juntaram-se 200 pessoas, incluindo 100 salva-vidas. Quando a festa terminou, os 4 salva-vidas de serviço começaram a limpar a piscina, onde encontraram o corpo de Jerome Moody, na altura com 31 anos, que ainda tentaram salvar, mas já era demasiado tarde. Afogou-se rodeado de salva-vidas em celebração da estação que tinha decorrido sem mortes. (Link)

 

Charles Darwin, o famoso autor de “A origem das espécies”, casou com uma prima.

Darwin era um homem lógico, tendo abordado o importante assunto do casamento como qualquer outro problema. Pesou bem os pró e contras antes de decidir casar com a sua prima, Emma Wedgwood. Mas não deixa de ser irónico que o homem que trouxe à discussão a importância da genética na selecção natural tivesse casado com a respectiva prima. (Link)

 

O homem que processou o Guinness Book por causa do recorde de maior número de processos de tribunal, feitos por uma única pessoa.

Um homem que tem vindo a processar meio mundo, agora vai também processar o Guiness Book, por este ter referido que ele era o homem que mais gente processou em todo o mundo. Jonathan Lee Riches conseguiu atingir o bonito numero de 4000 processos contra pessoas, entidades, objectos e conceitos. Já processou por exemplo George W. Bush, Che Guevara, Perez Hilton, a Torre Eiffel, Britney Spears, o partido Nazi de Adolf Hitler, o Google, o Império Romano, os Queen, a Magna Carta, os Wu-Tang Clan, e Emílio Estevez. (Link)

 

O rato que começou um incêndio que matou 100 gatos

Este evento é a vingança irónica dos ratos. Um rato é apontado por ter iniciado um incêndio que matou cerca de 100 gatos num abrigo para animais perto da cidade canadiana de Toronto. Também foram mortos pelo fogo mais 3 cães e alguns ratinhos que também estavam para adopção.

O relatório de investigação indicou que um rato ou ratos terão comido parte da instalação eléctrica no tecto provocando um curto circuito que deu inicio ao incêndio. (Link)

 

O especialista de corrida que morreu de ataque cardíaco após a sua corrida diária.

Jim Fixx era um especialista na matéria da saúde. Escreveu um livro em 1977 chamado “The complete Book of Running” que foi um best seller. Enriqueceu dizendo às pessoas que correr poderia prolongar as suas vidas. Um dia quando tinha 52 anos após voltar a casa depois da corrida diária, teve um ataque cardíaco e morreu. A autopsia do corpo revelou que teria as artérias bloqueadas. (Link)

 

O cordeiro que precisou de uma camisola de lã para sobreviver ao Inverno

Este pequeno cordeiro órfão teve de usar uma camisola de lã durante o Inverno para o ajudar a sobreviver às temperaturas gélidas do Inverno. Com o sugestivo nome de Jack Frost, o pequeno cordeiro foi abandonado à nascença, tendo sido salvo pelos voluntários da Manor Farm Country Park, perto de Southampton, no Reino Unido. Os seus salvadores pensaram que seria uma boa ideia o cordeiro usar uma camisola extra de lã, e a verdade é que ele gostou efectivamente do adereço que lhe permitiu enfrentar o gélido Inverno. A única altura em que não usava o casaco de lã foi quando precisou de ser lavado. (Link)

 

O coleccionador de ovos de aves que caiu de uma árvore, quando roubava ovo de um ninho

Costuma-se dizer que cá se fazem, cá se pagam, e parece que foi o que aconteceu a Colin Watson, um conhecido coleccionador, ou ladrão de ovos, de aves raras, no Reino Unido. Este senhor já tinha sido condenado por seis vezes pelo crime de roubar ovos a aves raras, tendo nas ocasiões a sua colecção sido confiscada. No entanto em 2006, caiu de uma árvore, onde tinha subido para roubar mais uma vez os ovos de um ninho, tendo falecido na queda. (Link)

1

Sem comentários

Deixe aqui o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.


Subscrever grátis

Subscreve a nossa lista de email e recebe artigos interessantes e actualizações comodamente na tua caixa de email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo não correu bem...