7 factos interessantes sobre o Islamismo que deves conhecer

O Islamismo é uma das maiores religiões do mundo, mas sabemos muito pouco acerca dos seus costumes, cultos e crenças. Hoje vamos falar de vários factos interessantes sobre o Islão que todos devíamos conhecer.

 islamismo

O Islamismo é a segunda maior religião do mundo

O Islamismo é a segunda religião do mundo de acordo com o número de praticantes devotos. Estima-se que cerca de 32 % da população mundial seja cristã, enquanto mais de 19 % será muçulmana. Logo de seguida vem o hinduísmo com pouco mais de 13 %.

Há mais de 355 milhões de muçulmanos fora da Ásia

Apenas 70 % dos muçulmanos se encontra na Ásia. O resto está distribuído um pouco por todo o mundo e em todos os continentes.

26,71 % dos muçulmanos vive em África, 2,99 % na Europa, 0,51 % na América e 0,03 % na Oceânia.

Nem todos os árabes são muçulmanos

Os árabes são um povo, não uma religião. A religião é o Islamismo, mas nem todos os árabes são muçulmanos. O povo árabe é originário da península arábica e outros territórios circundantes de língua árabe como o norte de África. Apesar da religião islâmica ter sido criada e ter-se expandido por todos estes territórios, nem todas as pessoas com origem étnica árabe são muçulmanas.

Chama-se árabe a uma pessoa originária da península arábica ou cuja língua materna seja o árabe, independentemente da sua religião.

O Islamismo é uma religião abraâmica

As religiões abraâmicas são as de fé monoteísta que partilham a crença de que Abraão foi o primeiro dos patriarcas pós-diluvianos. Estas são quatro: o Cristianismo, o Judaísmo, o Bahaísmo e o Islamismo. Isto é um exemplo de quão semelhantes são estas religiões entre si, uma vez que formam a maior família de religiões com origem comum.

Existem diferentes doutrinas dentro do Islamismo

O Islamismo não é uma religião homogénea. Existem diferentes ramos ou doutrinas: os sunitas e os xiitas. Ambas as ramificações partilham crenças semelhantes, mas têm diferenças teológicas e legais importantes.

Os sunitas representam cerca de 90 % dos muçulmanos e os xiitas apenas 10 %. Apenas em três países os xiitas são maioria em relação aos sunitas: Irão, Iraque e Líbano.

A formação destas duas ramificações tem origem na morte do profeta Maomé no ano de 632. Depois da morte do profeta, os muçulmanos deviam decidir quem seria o seu sucessor. Uma minoria defendia que o próprio Maomé havia designado Ali, seu primo e genro, como seu sucessor. Esta minoria viria a ser designada de xiitas. A grande maioria dos muçulmanos, os sunitas, decidiu que o sucessor do profeta seria Abu-Bakr, sogro de Maomé, comerciante em Meca e membro da tribo de Quraish. Nessa altura Abu-Bakr transformou-se no primeiro Califa.

Ambas as ramificações continuam em divergência, e esta separação é a principal causa para os conflitos bélicos contemporâneos entre muçulmanos. Mas para além da morte, também o nascimento de Maomé é um ponto de discórdia entre estas ramificações do Islamismo. De uma forma geral pensa-se que Maomé terá nascido no ano de 570 em Meca (na actual Arábia Saudita, de domínio sunita), mas alguns xiitas acreditam que terá nascido na Pérsia (actual Irão, de domínio xiita).

Lugares santos para os muçulmanos

Os lugares santos para os muçulmanos são três: Meca, Medina e a Mesquita de Al-Aqsa.

Meca foi onde supostamente nasceu Maomé e onde todos os muçulmanos devem ir em peregrinação pelo menos uma vez na vida. Para além de fazerem cinco orações obrigatórias diárias, também as devem fazer virados em direcção da cidade de Meca.

Medina é a segunda cidade mais importante para os muçulmanos já que foi para onde migrou Maomé quando saiu de Meca. Esta cidade é tão importante para os muçulmanos que não se permite a entrada a ninguém que não seja muçulmano. A Mesquita de Al-Aqsa encontra-se em Jerusalém e a tradição muçulmana relata que é o lugar onde Maomé ascendeu aos céus. Esta mesquita é tão importante que uma oração ali equivale a 500 orações normais.

Calendário islâmico e festividades do Islamismo

O calendário islâmico começa com a Hégira, ou seja, a emigração de Maomé de Meca para Medina, o que equivale ao ano de 622 do calendário gregoriano. As duas principais festividades para os muçulmanos são: Eid al-Fitr («banquete de caridade») e Eid al-Adha («celebração do sacrifício»).

O Eid al-Fitr representa o fim do Ramadão, que é o nono mês do calendário muçulmano, durante o qual se pratica o jejum diário desde a alvorada até ao pôr-do-sol.

A festividade de Eid al Adha é representada pelos muçulmanos de todo o mundo com a oferenda de um sacrifício animal (normalmente uma vaca ou um cordeiro) em agradecimento a Alá por salvar a vida do filho do profeta Ibrahim (Abraão).

Qual a tua opinião? Conhecias estes factos tão interessantes sobre esta religião?

loading...

Deixe o seu comentário

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

Refresh